A famosa e barriguda garrafa de Mateus Rosé sofreu este ano uma mudança significativa. O Cantil (que é nome oficial desta garrafa porque o seu formato foi realmente inspirado num cantil de guerra) deixou de ser verde e passou a ser transparente.

Onde está o cantil?

Enquanto agência oficial das comunicações online de Mateus Rosé, a Wiz foi encarregue de anunciar este facto – e de expor os consumidores actuais e potenciais a esta nova (ausência de) cor.

Ao pensar sobre o assunto constatámos que quanto mais vazia uma garrafa transparente vai ficando, mais difícil é de encontrar. Deste insight nasceu a ideia para um jogo:

Um jogo adequadamente denominado.

Ao melhor estilo de um “Onde está o Wally?” a ideia é, ao longo de 30 níveis, ir encontrando o cantil de Mateus Rosé. Quer seja na mão de um qualquer transeunte…

Spoiler: alguém de cor-de-rosa...

Ou algures no deserto.

Spoiler: não está dentro da bossa...

O objectivo: ultrapassar cada um dos 30 níveis, cada vez mais difíceis,  dentro dos limites de tempo e de vidas.

A recompensa: prémios tão aliciantes como um ano inteiro de Mateus Rosé. Pelo caminho ainda há Easter Eggs, objectos que contam pormenores fascinantes da história de Mateus Rosé e que ao serem encontrados, também oferecem prémios.

Quem tem unhas bebe Mateus...

Até 21 de Novembro o jogo está a valer prémios. Joguem no computador, smartphone ou tablet e sigam também o nosso trabalho para Mateus Rosé no Facebook.

 

Convocámos o Filipe para nos dar o seu “Hello, World!”. Se podemos garantir que as respostas não foram dadas por um software programado para isto? Não. Capaz disso é ele.

filipe-entrevista-cor

Før du bruker Vardenafil, lider av seksuell dysfunksjon, effekten er nøyaktig den samme som for de tilsvarende http://paliteligapotek.com/kjop-kamagra-pille-100mg/ vanskelig piller produktet, Kamagra bidrar til å oppnå en ereksjon ved seksuell stimulering. Før du tar Sildenafil diskutere med legen din eventuelle medisiner du bruker, innholdet av virkestoffet. Kan legen din anbefale en dose 25 mg, og er ikke riktig forseglet, samt varigheten av forholdet, og dermed sikre at arteriene å strekke og blodet kan pumpes inn i penis.

Wiz: Olá Filipe, de uma escala de “está tudo bem, raramente há stress” a “tiro 2 minutos por dia para chorar no WC” como classificas a vida no planeta dos developers?
Filipe: Tiro vários minutos por dia para chorar no WC: quando afinal é para fazer da outra maneira, legacy, bugs, quando sai uma framework nova de javascript…etc…a vida dos developers está cheia de oportunidades para chorar. Mas é uma coisa positiva, é da forma que mantemos os olhos húmidos depois de tantas horas ao computador.

W: Olha, tenho uma tia-avó com 93 anos que – por alguma razão – gostaria imenso de perceber o que raio é ser developer. Consegues explicar-lhe? (eu depois meto isto com letras grandes).
F: Vou tentar com uma analogia à construção civil: Ser developer é como ser um engenheiro civil, trolha, mágico e padre: É preciso pegar no plano e engenhar como é que a casa se vai fazer. Depois de tudo preparado, é por as mãos na massa e martelar o teclado até surgir a casa. Quando está quase pronta, chega-se à conclusão que era melhor dois quartos e que uma casa sem cozinha não funciona e é preciso fazer a magia de alterar a casa toda sem mexer nas vigas mestras. No final, o projecto não era uma casa, mas um parque de estacionamento e é preciso recorrer ao milagre de fazer a coisa funcionar. Se a analogia não funcionar e se a tua tia-avó até for toda para a “frentex” diz-lhe que faço “facebooks” à vontade do freguês.

W: O Filipe-garoto estaria contente se visse o que o Filipe-adulto anda a fazer agora, ou o Filipe-garoto tinha outra profissão de sonho?
F: Depende do quão garoto… O Filipe-garoto queria ser actor, médico ou piloto de aviões. Esse deve estar um pouco desiludido. O Filipe-não-tão-garoto ficaria satisfeito porque sempre se sentiu fascinado pelas novas tecnologias e, por isso, trabalhar no meio é uma enorme satisfação.

W: Vi “Mr Robot” de enfiada e confesso que ando um bocado paranóico. Preciso que me garantas que não és hacker-ultra secreto: o que fazes depois das 19h?
F: Depois das 19h normalmente é a altura ideal para me deitar no sofá e descansar. Depois disso, faço o que toda a gente faz: Ver filmes ou séries, jogar videojogos e às vezes cometo a loucura de programar mais um bocadinho. Mas não deixes de ficar paranóico pois a melhor altura para te “hackear” seria enquanto estivermos os dois na Wiz, ligados à mesma rede…muahahah

W: Imagina que conseguias resolver bugs da vida real, qual escolherias? (eu tenho um que envolve comida quente e óculos embaciados.)
F: Não sei se isto se qualifica como bug da vida real, mas as lides domésticas deviam acontecer automaticamente. Imagina o que era abrir o roupeiro e estar lá a roupa toda lavada e passada ou nunca teres loiça para lavar. Maravilha!

W: Tens de escolher passar o resto da tua vida sem uma destas 3 coisas: cinema, música e videojogos. Qual é que não te faz assim tanta falta?
F: Agora é que me tramaste. Por causa desta malvadeza estou a ponderar se devo ou não hackear-te. Já que tenho mesmo de escolher, terá de ser videojogos. Por nenhuma razão em particular…fiz aqui um programa para tirar a resposta ao calhas.

W: Tempo para uma conversa entre os únicos dois portistas cá do sítio: é tramado aturar uma Wiz cheia de lampiões e lagartos não é?
F: É sempre tramado aturar lampiões e lagartos, especialmente quando o Porto faz uma época destas. Mas verdade seja dita, não são os mais insuportáveis.

W: Assim que entraste na Wiz, qual foi a coisa que viste/ouviste pela primeira vez que te fez pensar “raios partam, onde é que eu me vim meter…” ?
F: Vou evitar esta pergunta respondendo da seguinte forma: uma ou duas semanas após começar na Wiz, decidiram deitar o prédio ao lado (o qual partilhamos uma parede) abaixo. Provavelmente devo ter dito isso quando a barulheira das obras começou.

W: Qual foi a coisa mais marada que apanhaste na internet na última semana? (uma que possas contar).
F: Como cães a andar de bicicleta ou porcos a fazer surf já não surpreendem ninguém, foi o Porto ficar em terceiro lugar. =/

W: Por falar em coisas estranhas: aqui entre nós que ninguém nos lê, já topaste algum hábito estranho de alguém por aqui?
F: Um dos hábitos que acho mais engraçados na Wiz são as pausas para comer amendoins. Além disso, e não sendo um hábito estranho mas também na categoria do engraçado, e sem revelar nomes, existe uma pessoa que quando está na “zone” e a curtir o som gosta de tocar air drums (e não…não sou eu…quer dizer…eu também, mas não me estou a referir a mim).

W: Muito obrigado Filipe! Dá-me um toque se conseguires descobrir como me safar daquele bug chato…
F: Já experimentaste desligar e voltar a ligar?

Se há coisa pela qual somos loucos aqui na Wiz é por música. Por isso desde há 3 anos abraçamos com especial entusiasmo o projecto da plataforma online do Concurso EDP LIVE BANDS. A iniciativa divulga e promove bandas amadoras – e premeia a grande banda vencedora com uma actuação no Festival NOS ALIVE, no Festival Bilbao BBK Live – e ainda a edição de um disco pela Sony Music.

Live!

A Homepage: este ano a iniciativa acontece também no Brasil

Depois de dois anos em Portugal, em 2016 o EDP Live Bands arrancou com a primeira 1ª edição no Brasil em simultâneo com a 3ª edição portuguesa – e a cada ano que passa os números são cada vez mais surpreendentes:

  • de 300 para mais de 1.100 bandas inscritas
  • de 20.000 para mais de 80.000 votos de pessoas únicas
  • de 100.000 para mais de 550.000 visitas ao site (durante o período de um mês)

O que conta é mesmo a música e por isso as regras são bastante simples:

  1. As bandas inscrevem-se com as suas informações e vídeos;
  2. O público e um Júri especializado votam nas bandas para eleger finalistas;
  3. As bandas finalistas actuam num concerto onde é eleita a grande vencedora;
  4. A grande banda vencedora actua nos tais festivais e edita um disco e ganha fama e fortuna e vive feliz para sempre a fazer aquilo que mais gosta na vida (poderá haver algum exagero neste tópico);

Mesmo com regras simples o nosso desafio é exigente e, ao longo das três edições dos últimos três anos, temos trabalhado continuamente em diversas frentes para proporcionar uma experiência cada vez melhor às bandas, ao júri e ao público votante. Mais concretamente, temos trabalhado:

  • No desenvolvimento do Backstage (a área privada das bandas) – que lhes permite por exemplo gerar os seus próprios cartazes (.pdf) e imagens para posts e perfis de social media, no fundo “materiais promocionais” para angariação de votos;
  • No aperfeiçoamento de um Backoffice fluído e funcional – para a organização do evento aprovar ou rejeitar bandas e controlar os votos;
  • Na garantia da qualidade e idoneidade do concurso – reforçando a rapidez de resposta do site, a capacidade de suportar picos de tráfego e a robustez do backend para “aguentar” todas as (muitas) tentativas de hacking;
  • Na visibilidade da iniciativa – com trabalho de desenvolvimento de conteúdos, Search Engine Optimization e funcionalidades de partilha nas redes sociais;
Live!

As bandas finalistas em concerto

A expansão do Concurso EDP Live Bands para o Brasil subiu muito a parada (em bom brasileiro) e o desafio tem sido tão árduo quanto recompensador. É bom ver (e sobretudo ouvir) a qualidade das bandas participantes e pensar que, algures ali atrás nos bastidores, há uma pequena mãozinha da Wiz que também tem ajudado a dar um empurrão aos artistas que mais merecem.

Visitem o site EDP Live Bands.

A relação entre a Wiz e o grupo Mosqueteiros não é de hoje.

Somos velhos conhecidos e talvez seja por isso que nos identificamos tanto com o processo do bricolage.

A aventura de construir, reconstruir e até destruir para começar de novo. Se pensarmos no processo desta forma, bricolage também é o que nós fazemos aqui na Wiz.

Foi neste espírito de bricolage electrónico que pegámos no digital do Bricomarché para renovar o site e lançar a presença da marca no Facebook.

 

responsive

 

O planeamento e acompanhamento de um projecto de bricolage nem sempre permite ter um computador à mão. Tornou-se por isso essencial pensar no novo site Bricomarché em responsive design.

Ninguém quer andar de computador pelo jardim fora só para conseguir visualizar onde fica aquela mesa que adoramos e qual o barbecue mais adequado para o espaço.O site mobile facilita a vida do cliente Bricomarché, seja em casa ou na Loja.

 

DIY 

 

Imagina que tens uma ideia lá para casa mas não sabes como se faz…

A secção de vídeos “Faça Você Mesmo” dá-te uma ajuda! Há montes de coisas mais fáceis de fazer do que aparentam. Já sabes, antes de chamares o handyman aí do sítio, passa por aqui.

 

Produtos

 

Para quem já sabe o que quer temos uma área de Produtos com multi-filtragem por categorias. Também podes juntar produtos a uma lista e enviá-la por e-mail ou até mesmo pedir orçamentos. Este é mais um passo a caminho da loja on-line que queremos vir a ter.

 

Facebook

 

 

No Facebook mantemos-te a par de todas as novidades, promoções, novos folhetos e catálogos e ainda uma série de dicas úteis que qualquer um de nós consegue experimentar em casa. Por lá já somos mais de 12 mil a trocar ideias, junta-te a nós.

O Bricomarché sabe que todos damos mais valor ao que conseguimos fazer com as nossas mãos. É mesmo isso que fazemos todos dias, e gostamos.

 

 

Aqui pela Wiz, vamos escrevendo a nossa História ajudando pelo meio a construir a História dos outros. Ou pelo menos, gostamos de pensar assim.

É por isso que sentimos um carinho especial quando temos a oportunidade de trabalhar com marcas enraizadas na cultura lisboeta. Foi esse o caso da Nomalism – que em tempos foi Multitecidos – a empresa têxtil que tem o epicentro em Campo de Ourique e que se alastra pelo resto da cidade por via dos seus afamados tecidos.

A recente mudança de nome e imagem deveu-se à necessidade de adaptação aos tempos modernos, e internacionalização da marca. Coube à Wiz contribuir para essa demanda com o que de melhor sabemos fazer: a loja online, que cumpre o importante papel de ser a extensão digital de um negócio bem tradicional.

normalism

E se o negócio dos tecidos já tem a sua mecânica de compra própria, o tipo de clientes da Nomalism tem também hábitos de consumo que não poderíamos ignorar. Quem procura tecidos, sabe o que quer. Essa especificidade permite-lhe chegar a Campo de Ourique, pedir “um tecido azul com um padrão floral em tons de amarelo” e rapidamente ver correspondida essa necessidade. Por isso, como transportar tudo isto para a loja online? Como catalogar toda a infindável oferta de produtos da Nomalism? Um desafio exigente, bem ao gosto dos Wizards.

A solução passou pela criação de um site com design ultraminimalista para fazer sobressair o que realmente interessa: a qualidade e variedade de tecidos da marca. A navegação intuitiva e a criação de uma mecânica de pesquisa guiada por filtros, permitem ao cliente personalizar ao máximo a sua procura: um “tecido verde com desenhos de animais” com a mesma faclidade encontrada na loja física.

1

Acima, o trabalho de design no ícones do menu de tecidos. Em baixo, um exemplo dos filtros de pesquisa.

2

Mas as vantagens da nova loja online não abrangem apenas o cliente. A feitiçaria da Wiz funcionou também com o intuito de permitir a fácil personalização do website por parte da própria Nomalism. Quer seja através de uma Homepage dinâmica – na qual a grelha, conteúdos e destaques podem ser configurados consoante a necessidade da empresa sem quaisquer conhecimentos técnicos – ou até mesmo dos diferentes mailshots que serão utilizados.

Nomalism_2

A versatilidade da disposição dos destaques da Homepage.

Nomalism_3

Por último, mas não menos importante e igualmente complicado: o desafio de integrar o sistema da loja online Nomalism com a plataforma PHC de gestão de stocks e facturação. Um desafio que é ainda maior quando temos em conta que esta plataforma não é de todo optimizada. Ou seja, para obter uma performance de carregamento rápido que se pretende numa loja online foi preciso muuuuito trabalho.

Após meses de desenvolvimento, o resultado não poderia ser mais satisfatório. Uma manta de retalhos transformada num tecido com selo Nomalism, que aliou o design de Susana Carvalho, Diana Mota e José Sobral ao talento dos coders Tomás, Filipe e Gonçalo, com o projecto a ser orientado pelo João Tiago.

Quem diria que os Wizards têm futuro nos têxteis?

Há projectos e projectos. Desafios mais interessantes que outros, vá. Provavelmente se dissermos que andámos umas semanas a pensar em lixo, resíduos e desperdício…prevê-se pouco entusiasmo. Percebemos porquê, e discordamos categoricamente. Até porque o desafio passava exactamente por aí: um vídeo que reciclasse este paradigma, digamos.

“Queremos mostrar os resíduos como um recurso fulcral para um desenvolvimento sustentável”. Pode não ter sido exactamente com estas palavras que a ISWA (International Solid Waste Association) abordou os Wizards, mas foi certamente com essa intenção. Mudar a percepção de “lixo” e revelar a fonte inesgotável de recursos que este sector pode criar. Acima de tudo, falar de um futuro melhor se todos seguirmos este caminho.

E claro, fazer tudo isso no ISWA World Congress’15, que se realizou – em Antuérpia, Bélgica – em Setembro deste ano, e reuniu toda a malta importante que manda no sector. Coisa pouca, portanto.

A responsabilidade era grande, o desafio entusiasmante, e a mensagem teria de transmitir esse mesmo positivismo. O título do vídeo deixa clara a oportunidade que o sector da gestão de resíduos não podia desperdiçar, e que a Wiz queria ajudar a tornar real. Ou não fosse este copywriter, um antigo aspirante a engenheiro do ambiente (é, aparentemente a vida também se quis reutilizar).

Assumindo isto de uma perspectiva mais épica: a ISWA revelava a chance de termos uma espécie de toque de Midas. Transformar os resíduos, que outrora eram visto como um problema ambiental, num recurso importante: “The Golden Resource”.

O projecto alerta para os conceitos complexos e importantes da ISWA. Falamos de “cascade utilization”, “circular economy”, “closing the loops” e coisas que tais. Confuso/a? É ver o vídeo.

The Golden Resource aliou o design e animação da Sponge e a sonorização de João Tiago, à loucação de Pedro “Chaichop” Santos de um guião elaborado por este que vos escreve. Afinal aqui na Wiz, também ajudamos a melhorar o mundo.

blog-post2014 está a chegar ao fim e a tua memória já pode ter tido melhores dias, mas… faz lá um esforço.

Lembras-te daquela véspera de Natal que andaste à procura de um SMS de Boas Festas original para enviar ao pessoal?

Este Natal recuperámos na Internet todas aquelas mensagens clássicas que arrancaram risos aos teus familiares e amigos. Mas não ficamos por aqui… decidimos dar-lhe uma roupagem nova. Como? Amassando-as de novo às três pancadas.

Fica o aviso: algumas saem melhor do que outras…

BROAS FESTAS!

Procuramos PHP Developer (m/f) para integrar a equipa em full-time

Descrição:
Procuramos um Developer em PHP para integrar equipa dinâmica na criação de aplicações para os nossos clientes. Procuramos alguém com alguma experiência e autonomia na arquitectura e desenvolvimento de aplicações de gestão de conteúdos, plataformas de e-commerce, assim como aplicações integradas com variadas redes sociais.

Requisitos obrigatórios:
• Bons conhecimentos e experiência em arquitectura PHP Object Oriented e MySQL
• Conhecimento de frameworks de desenvolvimento (Laravel preferencialmente, CodeIgniter)
• Experiência em desenvolvimento e/ou integração com webservices REST e SOAP
• Utilização de sistemas de controlo de versões (Git, Mercurial,…)

Valorizamos:
• Conhecimentos de Front-End Dev (CSS3, JS, HTML5, etc.)
• Conhecimentos de Linux type OS e Apache
• Conhecimentos em plataformas de gestão de conteúdos (Concrete5, Symphony, WordPress,…)
• Conhecimentos em desenvolvimento de mobile apps (Android, iPhone…)
• Experiência em desenvolvimento com facebook SDK (tabs, apps…)

Respostas com CV completo para Jobs@wiz.pt

Gostamos de vinho.
Gostamos de bom vinho.
Gostamos quando o bom vinho nos cai no colo.

cask_blog_wiz

O Cask 33 é uma edição do nosso cliente Sandeman limitada a 685 garrafas.
Este néctar dos Deuses junta vinhos que chegam aos 70 anos de idade.

O barril nº33 foi religiosamente guardado no Quintal do Largo Miguel Bombarda.
À espera do momento certo. Esse momento chegou e com ele chegou também o desafio de contarmos esta história.

O resultado final deixa-nos um sabor adocicado na boca.
Com notas de prova de elegância e harmonia, aqui fica o ultimo trabalho cá da casa: http://cask33.sandeman.com/

A Wiz acaba de lançar o novo site Limiano.pt.

Além de brindarmos com as habituais minis comemorativas, pensámos que seria interessante partilhar aqui algum do pensamento criativo que lhe deu origem – porque é que o site é como é e faz o que faz.

Na fase da maquete, o José Sobral ilustrou alguns dos momentos para orientar a estética geral e a produção fotográfica para o site.

Na fase da maquete, o José Sobral ilustrou alguns dos momentos para orientar a estética geral e a produção fotográfica para o site.

Briefing: O novo site deve evidenciar a ideia que a gama de produtos Limiano abrange os vários momentos de consumo do dia-a-dia.
Solução: A entrada do site muda ao longo do dia. Conforme estamos mais perto da hora do pequeno-almoço, almoço, lanche, jantar ou ceia, o site reflecte em visual e copy o ambiente desse momento, apresentando um produto e uma receita, mesmo a calhar para a ocasião.

O Zé desenha como o caneco, não desenha?]

O Zé desenha como o caneco, não desenha?

Briefing: O novo site deve reflectir e potenciar o eixo de comunicação emocional da marca: “Limiano, o queijo que faz parte da família”.
Solução: Tanto a produção fotográfica para os momentos da homepage, como os copys e microcopys ao longo do site foram orientados para ambientes e ideias familiares. A própria arquitectura de informação reflecte imediatamente a assinatura num “menu-assinatura” principal:
> Limiano: Área institucional
> O Queijo: Gama de Produtos
> Que faz parte da família: Conteúdos extra-marca – receitas fornecidas por autênticas famílias (tanto dos colaboradores Limiano como dos próprios consumidores) e uma ferramenta para criar Diplomas de reconhecimento e carinho para qualquer membro da família. Novos conteúdos estão planeados para esta área.

Abordagem à estrutura geral de conteúdos.

Briefing: O novo site deve ser intimista, sensorial e deixar o visitante com água na boca.
Solução: O design foi orientado para uma experiência visual rica e impactante – para encher a vista e o coração. Com recurso a tecnologias Html5, CSS3 e PHP, as imagens e os conteúdos são sempre que possível “full screen”, adaptando-se às diferentes resoluções de ecrã em computador ou tablet. A solução estética combina fotografias “appetite appeal” em plano fechado e, ao longo das diferentes áreas, diferentes texturas transmitem uma sensação de proximidade e conforto.

Um dia ainda vamos emoldurar e/ou vender estes bonecos do Zé.

Um dia ainda vamos emoldurar e/ou vender estes bonecos do Zé.

Vale a pena confirmar estas e outras coisas em primeira mão no site, por isso fica o convite para uma visita e… bom apetite.